Luan Santana tem plena consciência de que já conquistou muita coisa em sua carreira. E a menos de um mês de seu novo show no Rio de Janeiro, ao ser perguntado sobre onde quer chegar, o cantor de 28 anos faz questão de enaltecer seu público.

“Quero chegar sempre no meu púbico, nos aplausos que conduzem o ritmo do meu coração, na música que está nas minhas veias”, diz ele em um tom poético.

A Cidade Maravilhosa recebe no dia 7 de setembro a turnê “Viva”, nome do novo DVD de Luan, gravado em maio na Bahia. “O show será baseado no DVD. A passarela, que é uma extensão do palco, será grandiosa no que diz respeito à proposta do artista em estar perto do fã”, afirma Ton Santana, produtor executivo do espetáculo.

Como sempre, números e dimensões relacionados à apresentação de Luan Santana impressionam. “Já que a nossa realidade de espaço é outra, não teremos a forma do ‘fóssil’, mas teremos suas costelas desmembradas em outras linhas… Teremos o mundo dentro da cúpula, aquela de onde surgi para o meu público no DVD”, adianta o astro. As costelas em questão têm uma tonelada cada.

Luan Santana apresenta o show 'Viva', dia 7/9, no Rio de Janeiro — Foto: Divulgação/Cadu Fernandes
Luan Santana apresenta o show ‘Viva’, dia 7/9, no Rio de Janeiro — Foto: Divulgação/Cadu Fernandes

Números grandiosos

Falando em números, Luan Santana ostenta feitos importantes como 5 milhões de CDS vendidos e 5 milhões de ouvintes mensais em serviço de streaming de música, além de 65 milhões de seguidores nas redes sociais. Isso sem falar nos 86 prêmios, nacionais e internacionais, inclusive no Domingão do Faustão, e nos 10 mil fã-clubes no Brasil e no exterior.

O sucesso é evidenciado também com “Quando a Bad Bater”, primeira faixa do DVD “Viva”, lançada há dois meses e um dos destaques do atual setlist. Com letra e canção assinadas por Luan, alcançou a liderança das rádios e plataformas digitais de todo o país em poucos dias. A música tenta convencer um amor a resistir e não partir. Como é 100% autoral, a pergunta que não quer calar é: “A bad já bateu em você, Luan?”.

“A bad já bateu, sim. Quem nunca? O melhor é ficar em silêncio e pensar em tudo, buscar o equilíbrio. Mas também reunir amigos e sair para pescar”, garante.

Luan Santana diz o que fazer se a 'bad bater': 'Ficar em silêncio, buscar o equilíbrio. Mas também reunir amigos e sair para pescar' — Foto: Divulgação/Cadu Fernandes
Luan Santana diz o que fazer se a ‘bad bater’: ‘Ficar em silêncio, buscar o equilíbrio. Mas também reunir amigos e sair para pescar’ — Foto: Divulgação/Cadu Fernandes

Mais sobre o show

São 11 anos de estrada, e, assim como faz em cada trabalho, Luan Santana seleciona um foco temático que serve de referência do repertório ao cenário. Dessa vez, a proposta bebe da fonte do chamado “CyberPunk”, expressão que trata de um futuro obscuro em que a alta tecnologia ofusca a essência humana. É aí que Luan aproveita para mandar um recado:

“O que mais temos visto em variados ambientes são as pessoas com celulares nas mãos e não sabendo explorar o bem que a tecnologia nos traz. (…) Queremos este alerta: naveguem, convivam e, depois, compartilhem para contagiar a todos”.

Por último, também como um recado, um toque de amigo, o que Luan Santana diria se alguém estiver na bad, aquela de seu hit recente?

“Quem estiver na bad agora, meu conselho é: se olha no espelho e diz: ‘Cara, você é muito importante para Deus’!”

Por: GShow

Publicado por Equipe PLS - Arquivado em Notícias