Quem vê o sucesso estrondoso do DVD “Viva”, o sexto da carreira de Luan Santana – disponível no Globoplay – não imagina que, por pouco, o cantor não desistiu dessa ideia. Em um papo franco com a equipe do Gshow, Luan abriu o jogo sobre os bastidores da gravação, que aconteceu no Parque de Exposições de Salvador, na Bahia, cujo orçamento foi de mais de R$ 8 milhões.

“Tivemos dificuldade com relação a tudo: cenário, pessoas, escolha de repertório… Deu muito trabalho. Em dois momentos, pensei em desistir. Achei que não fosse conseguir fazer, passei dois dias triste, achei que o mundo fosse acabar, mas, de repente, tudo se encaixou, as coisas começaram a funcionar e pensei: ‘Que bom que não desisti'”, vibra o artista de 28 anos.

 Foto: Cadu Fernandes/Divulgação

Que bom mesmo! “Viva” se tornou o maior projeto da carreira do sertanejo e seus números expressivos comprovam essa grandeza. Primeiro single do novo trabalho, “Quando a Bad Bater”, alçou o artista a patamares históricos. A faixa derrubou o recorde de 1998 que pertencia ao Legião Urbana, como a música mais tocada nas rádios em 24 horas.

“Não esperava que fosse bater recorde. Acho que as pessoas estavam muito ansiosas para esse projeto, para que fosse lançado alguma coisa dele por ser grandioso, por ter dado o que falar. E a gente sabia que a primeira música que soltasse teria que ser certeira. E foi! Ela está quebrando recordes, é uma das mais executadas em todo país. Estou muito feliz!”, comemora Luan, autor da canção.

 Foto: Cadu Fernandes/Divulgação

Como na letra do fenômeno das paradas, o artista admite que, sim, também tem seus dias de bad :

“Claro que a bad bate. O ser humano pergunta demais e, às vezes, não tem respostas. A gente fica colocando coisas na cabeça e faz tudo virar um monstro, mas é mais simples do que parece. O ‘Viva’ veio para mostrar isso também, para gente valorizar as coisas simples da vida.”

Romântico à potência máxima, o cantor acredita que o segredo do sucesso é a dedicação:

“Sempre participei de perto dos meus projetos. Faço questão de que tudo passe pelas minhas mãos porque, só assim, as pessoas vão se identificar com o que estou fazendo. E dirigir esse DVD, com toda a galera que se empenhou e caprichou tanto em cada detalhe, foi uma missão muito importante para o meu crescimento como pessoa e profissional.”

Matéria na íntegra de Gshow

Publicado por Equipe PLS - Arquivado em Notícias