Em entrevista ao canal ‘Alma Sertaneja’, apresentado pelo youtuber Dudu Purcena, o cantor e empresário Sorocaba, falou sobre o atual cenário da música Sertaneja e destacou a importância de artistas como Luan Santana e Marília Mendonça para trazer novos públicos e criatividade ao ritmo.

“A base de tudo é a criatividade, não precisa ir muito longe. Toda vez que nasce um novo artista com potencial, que tem um diferencial, artistas como Luan Santana, Marília Mendonça, Jorge e Mateus, a gente tem que reverenciar, são artistas que trazem o novo, seja na estratégia, na forma de cantar, repertório, é um conjunto de coisas.”

Parceria com Luan

Perguntado sobre os artistas empresariados por ele, se Luan era o mais certeiro, Sorocaba foi categórico ao afirmar que o ‘Gurizinho’ foi sucesso por uma combinação de fatores, que começou principalmente pela “blindagem” dele pelos empresários na época.

“A gente via que ele já ia acontecer, mas sempre acontecia alguma situação que escorregava (relacionado à composições). Nós deixamos ele ‘blindadinho’ pra fazer o trabalho dele com uma série de músicas, o moleque já era sucesso. A gente acabou usando a plataforma que já tinha dado certo com Fernando e Sorocaba, que eram os shows na região sul do Brasil, e martelamos em cima disso, e Luan passou por Fernando e Sorocaba como um meteoro.”

Sorocaba também destacou a importância do Luan na renovação do público do sertanejo:

“Poucas pessoas sabem, mas Luan foi responsável mudar público de rádio, público de balada sertaneja. Criança não ligava em rádio pra pedir música, adolescente, e por causa dele passaram a conhecer também o Fernando e Sorocaba, o Vitor e Leo, Jorge e Mateus, Chitãozinho e Xororó, etc.

No entanto, no começo nem tudo foram flores:

“Quando começou, existia uma rejeição tremenda contra ele. Quando Fernando & Sorocaba estava nas férias médias, com Bala de Prata, colocávamos o Luan no palco para fazer duas, três músicas e a rejeição era total. As menininhas ficavam piradas. [Ouvimos] vaia e, às vezes, homens mostravam o dedo. ‘Tira daí!’. Ali enxergava que ele estava incomodando e pensei: ‘Isso vai virar verão’.”

Por fim, o empresário afirmou que sua sociedade com Luan foi encerrada (por término de contrato), mas que ambos seguem muito amigos e abertos para parcerias e novos projetos:

“Luan é muito correto, o pai dele é muito correto, eu adoro ele, é um irmãozão. Por isso a coisa foi longe, e ainda pode nascer muita coisa legal, independente da gente não ser mais sócio. Tem muita coisa que pode acontecer de legal, em composição, em parceria…”

Confira a matéria na íntegra

Projeto Luan Santana Brasil

Publicado por Equipe PLS - Arquivado em Notícias