Após um período de cinco anos sem lançar nenhum álbum de inéditas, Daniel inicia nesta quinta-feira, 15, o trabalho com seu novo CD, com 10 faixas novinhas chegando ao mercado. O disco, assim como seu primeiro trabalho solo lançado há 18 anos, também leva seu nome como título.

O resgate não se limita ao nome do projeto, mas sim também nas faixas. Daniel trouxe no novo CD um retorno ao sertanejo da época em que tinha como parceiro musical o cantor João Paulo, que morreu em um grave acidente de carro em 12 de setembro de 1997. A data escolhida para o lançamento do disco, aliás, mesmo sendo três dias após o aniversário de morte, não foi proposital. “Foi coincidência”, contou Daniel, que usou suas redes sociais para homenagear o grande amigo no início da semana.

Sobre o hiato de novidades, Daniel explica. “Não queria colocar umas quatro inéditas no meio de um álbum de regravações. Esse momento é um momento de virada de página, um novo ciclo. O legado dos 30 anos já ficou. Daqui para a frente é vida nova. E porque não renovar essa coisa do repertório?”, questionou ele, que fez nesse meio tempo dois projetos comemorativos para as três décadas de carreira: o “Daniel 30 anos, o musical” e o “In Concert em Brotas”.

Luan Santana

Para o novo projeto, Daniel contou com a produção de Dudu Borges, que se revelou um grande fã do cantor ao longo da parceria. “Tive a grande felicidade de saber que ele era fã de verdade, eu não sabia. Foi uma grata satisfação, porque ele já tem um pouco da minha essência, então ele tinha preocupação nas letras, que não podia ser coisa de momento, descartável”, contou Daniel em entrevista exclusiva para o EGO.

Foi Dudu também que ajudou na parceria entre Daniel e Luan na faixa “Discurso Ensaiado”, que abre o CD. Luan é um dos compositores da canção. “O Luan estava preparando um dos projetos dele e trouxe para o Dudu essa Música, que cita ‘Adoro amar você’. Isso já deixa muito claro que ele também é fã. Mas o Dudu falou que não tinha muito a ver com ele por enquanto e que ia mostrar para um outro cara. Mas não falou que era para mim. Eu achei muito legal, diferente, atual, brejeira e raiz. Aí ele contou que um dos compositores era o Luan e eu já falei: ‘pô, vamos gravar’”.

A participação de Luan na faixa pode ajudar, também, a Daniel dar uma renovada no público. “Não tive essa preocupação, foi tudo muito natural. Mas não deixa de trazer um pouco desse público jovem e de poder juntar tudo isso. Música é isso. Essa possibilidade de junção”, contou Daniel, que também tem participação da dupla César Menotti e Fabiano no CD, além de Diego (parceiro musical de Henrique) e Marcos (dupla de Belutti).

Semelhanças

Ainda sobre Luan, Daniel falou sobre a semelhança dos dois projetos, já que ambos os cantores transitam bem no romantismo que atinge o sertanejo e o popular. “É importante para o artista ter essa chance de poder fazer outros estilos de música sem perder o nosso chão, a nossa identidade. Luan tem muito disso é um cara focado, sabe o que quer. Tem como marca o romantismo, mas envereda para outros gêneros também. A gente tem isso de Daniel ser um cantor sertanejo, o Luan ser um cantor sertanejo. A gente é cantor popular, cantor do povo e tenta gravar coisas que as pessoas se identifiquem”, afirmou ele.

Fonte: EGO

Publicado por Equipe PLS - Arquivado em Notícias